Parcerias e tecnologia para fortalecer o setor

A partir de 1º de janeiro, a regional Minas Gerais conta com um novo presidente: Rafael Decina Arantes será o primeiro Arquiteto Urbanista a ocupar o cargo, após dois biênios consecutivos na Vice-presidência de Arquitetura. Formado pela UFMG (2001) e pós-graduado pela mesma instituição em Desenvolvimento Urbano Sustentável (2004), Rafael integra há doze anos o quadro da Cobrape (Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos), ocupando hoje o cargo de gerente geral da filial Minas Gerais.

Rafael Arantes acredita que as parcerias com outras entidades serão fundamentais para o fortalecimento do Sinaenco-MG nos próximos anos. “Contaremos com o apoio do CEAEC (Colegiado de Entidades de Arquitetura e Engenharia Consultiva) para trabalharmos juntos em cima de temas convergentes, unindo esforços e ganhando mais visibilidade”, afirma. A adoção e difusão de novas tecnologias será outro assunto em destaque segundo Arantes, também Vice-presidente de Articulação da CBIM-MG (Câmara Brasileira de BIM em Minas Gerais). “Criaremos Grupos de Trabalho técnicos para novas tecnologias ligadas ao conceito BIM, eventualmente através de Termos de Cooperação Técnica com entidades que já tenham GTs com a mesma finalidade”.

Rafael está à frente da chapa que conta com alguns diretores também experientes na regional Minas. O atual presidente, Lucas Ribeiro Horta (Cappe Brasil Engenharia), passa a ocupar a Vice-presidência de Administração e Finanças. Elielson Seabra (Tractebel Engineering) mantém seu cargo na Vice-presidência de Gestão e Assuntos Institucionais, assim como Renato Oliveira (Porto e Assunção Engenharia) como VP de Engenharia e Rodolfo de Ávila Lemos Neto (Mirante Engenharia) como VP de Ciência e Tecnologia. Completam a nova diretoria do Sinaenco-MG Natália Braga (MCA Auditoria e Gerenciamento/VP de Relações Trabalhistas e Assuntos Intersindicais), Maíra Cardoso de Melo (Urbe Consultoria e Projetos/VP de Arquitetura) e Paulo Eustáquio Torres de Carvalho Jr. (Systra/VP Ética e Proteção à Consultoria), além dos conselheiros Eulo Beggiato (Encibra Estudos e Projetos de Engenharia) e Maurício de Lana (Consol Engenheiros Consultores).

 Entrevista: Rafael Decina Arantes, presidente eleito do Sinaenco-MG

Quais assuntos terão destaque no início de seu mandato?

Em primeiro lugar, acredito ser extremamente importante reforçar as bandeiras históricas do Sinaenco para a valorização do setor de A&EC. Vivemos um momento de grande desvalorização dos produtos gerados pelas empresas do setor, tendo como resultado a cultura da aquisição de serviços de consultoria como se fossem comuns ou até mesmo “bens de consumo de prateleira”. É preciso resgatar alguns conceitos junto aos principais contratantes, entre eles os de que nossos serviços são extremamente especializados, que precisam de prazos adequados para serem executados e que devem ser contratados de forma adequada, valorizando a técnica da solução apresentada. Um segundo ponto bastante importante é a aproximação do Sinaenco-MG de outras entidades do setor, para que possamos nos fortalecer e apoiar as ações uns dos outros. Para isso contaremos com o apoio imprescindível do CEAEC (Colegiado de Entidades de Arquitetura e Engenharia Consultiva), criado no início de 2019. Através do colegiado será possível unir esforços em torno de temas convergentes, ganhando mais visibilidade.

Que ações estão previstas já para 2020?

Pretendemos promover eventos temáticos que abram um canal de diálogo com nossos públicos-alvo. Acredito que é preciso criar mais oportunidades para divulgar não só as ações do Sindicato, mas também o portfólio das nossas empresas associadas, dando visibilidade a elas nas redes sociais, que terão destaque no mandato. É preciso também ampliar nosso número de empresas associadas, mostrando ao mercado a importância do trabalho desenvolvido por nossa entidade. Iremos buscar, ainda nessa linha de atuação, benefícios e parcerias com outras empresas e fornecedores de serviços.

A plataforma BIM* também terá lugar de destaque em sua gestão, certo?

Sem sombra de dúvida, a plataforma agrega ao desenvolvimento do projeto, desde sua fase inicial, uma compatibilização de informações que permite ao contratante uma infinidade de soluções, antecipação de problemas, geração de dados, economicidade nas etapas de projeto e obra, assertividade de orçamentos e prazos, redução de perdas, controle da operação e manutenção na pós-ocupação etc. Buscaremos criar Grupos de Trabalho técnicos para novas tecnologias ligadas ao conceito BIM, eventualmente através de Termos de Cooperação Técnica com entidades que já tenham GTs com a mesma finalidade.

* Assista ao vídeo da ABDI (ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) sobre a plataforma BIM, metodologia de trabalho que traz transparência, economia e agilidade para empreendimentos públicos e privados

Written by

No Comments Yet.

Leave your comment