Minas Gerais avança na adoção da metodologia BIM

A capital mineira sediou em junho dois importantes eventos que mostraram que a plataforma BIM avança rapidamente em nosso estado.  O Sinaenco-MG apoiou ambos institucionalmente, sempre com o objetivo de ajudar a promover discussões urgentes para o setor de A&EC. Participaram dos encontros o VP de Arquitetura do Sinaenco-MG, Rafael Decina Arantes, e a coordenadora executiva da entidade, Juliana Soares.

O 2º SeBIM, que aconteceu no dia 26/06, teve como tema “BIM na construção 4.0: onde estamos e aonde queremos chegar”. Realização de Sebrae Minas, Abrasip-MG, CBIM-MG e Sinduscon-MG, foi um verdadeiro sucesso de público, trazendo cases que comprovaram que a plataforma já é uma realidade na construção civil mineira e brasileira.

O Secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra, antiga Setop) Marco Aurélio de Barcelos Silva (foto) participou da abertura do evento. Ele elogiou a iniciativa e ressaltou a importância de que haja sinergia em momentos cruciais, como os de crise.

A programação contou com 13 palestrantes, entre eles renomados especialistas no assunto como o Prof. Eduardo Toledo Santos, da Escola Politécnica da USP, e a Subsecretária Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do governo federal, Talita Saito, que compartilharam suas experiências com os mais de 300 presentes. Representantes de construtoras que já trabalham com a plataforma e também de empresas que oferecem inovações cada vez mais impactantes para a metodologia completaram a grade de apresentações.

LaBIM: o laboratório colaborativo do governo estadual

O avanço do BIM no governo estadual foi tema de evento realizado no dia 27/06 no DEER-MG. Vitor Calixto Curi, gerente de implementação do BIM, apresentou o plano do governo, que inclui a criação de um laboratório baseado no conceito Open BIM*. O LaBIM terá a missão de disseminar o BIM nas obras públicas estaduais, buscando trazer transparência aos empreendimentos e orientando o mercado nessa fase de transição tão importante para as cadeias da construção civil e pesada.

O laboratório que será implantado em Minas segue os passos do que foi feito em Santa Catarina, estado pioneiro no assunto em nosso país. Rafael Fernandes da Silva, Coordenador de Projetos Especiais na Secretaria de Planejamento do estado catarinense, esteve nos dois eventos para compartilhar o que está sendo feito no sul há cerca de 5 anos.

Ele ressaltou que a primeira licitação de projetos do governo cobrando a metodologia aconteceu em 2014, para o Instituto de Cardiologia do estado (ICSC). Para ele, um dos aspectos importantes da plataforma é ser um processo colaborativo, integrando equipes de diversas disciplinas. Destacou, ainda, que a metodologia prioriza o planejamento de um empreendimento, estendendo as fases iniciais para ganhar em tempo depois, na execução.

Tiago Randazzo Rabelo, da Gerência de Projetos do TJMG, também participou dos dois encontros, trazendo a experiência que a equipe de engenharia do Tribunal vem tendo com a plataforma desde 2016. Com o aumento da demanda interna por obras (o TJMG conta hoje com mais de 600 edifícios), foi preciso passar a aferir melhor a qualidade dos projetos que estavam sendo contratados. Era necessário, ainda, aumentar a produtividade de fornecedores e da equipe interna, daí a necessidade da adoção de uma metodologia mais transparente e eficiente. Rabelo afirmou que, por enquanto, a plataforma está sendo adotada apenas na fase de projetos, mas que no futuro fará parte também do planejamento e fiscalização e obras, bem como da programação de manutenção prediais do órgão.

Planejamento, interdisciplinaridade e produtividade: ao fim dos dois dias de discussão, esses foram os conceitos repetidos diversas vezes, por contratantes, fornecedores e especialistas. Ficou claro que o BIM não é mais apenas um conceito em nosso estado, mas uma realidade. É preciso que o setor, mesmo combalido, reaja e se adapte a esta nova maneira de projetar, pois, em breve, os contratantes exigirão produtos entregues nesses novos formatos.

 

*OPEN BIM é uma abordagem de colaboração interdisciplinar, oferecendo suporte a um fluxo de trabalho aberto e transparente e permitindo que os membros do projeto participem independentemente das ferramentas de software que usam. Cria uma linguagem comum para processos amplamente referenciados, permitindo que pequenos e grandes fornecedores de software possam participar e competir em soluções independentes do sistema.

Written by

No Comments Yet.

Leave your comment